O tiradentino entre os melhores

Quando foi inaugurado, em outubro de 1986, o restaurante Estalagem do Sabor era um dos poucos existentes até então em Tiradentes. “Quando abri o Estalagem havia, além dele, apenas outros cinco restaurantes por aqui”, lembra o tiradentino Vicente Teixeira, chef e proprietário da casa. Prestes há completar trinta anos, o estabelecimento é um dos veteranos da charmosa Tiradentes, reconhecida nacionalmente pela qualidade de sua cozinha.

Embora tenha conquistado sucesso atuando na gastronomia, o início da carreira de Vicente foi com a hotelaria. Por isso, quando questionado sobre seu histórico profissional, a primeira lembrança remete Vicente a outro tradicional estabelecimento da cidade: o hotel Solar da Ponte. Inaugurado em 1972, ele foi a primeira pousada a se estabelecer na cidade, iniciativa do casal Anna Maria e John Parsons (falecido no ano passado).

Ainda muito jovem, aos 13 anos, Vicente começou a trabalhar no hotel onde foi jardineiro, copeiro, garçom. Porém, ao longo do tempo, foi dispensado e recontratado por três vezes, o que lhe rendeu divertidas lembranças. “Eu era muito infantil e curioso, o que me tornava um rapaz algumas vezes atrapalhado e bagunceiro”, relembra Vicente sorrindo. A infância tardia aconteceu devido a uma doença nas pernas que o impossibilitou de caminhar por três anos e meio quando ainda era bem menino.

O primeiro deslize no Solar da Ponte aconteceu quando desvendou onde Anna Maria guardava os chocolates que lhe dava sempre que engraxava seus sapatos. “Comi todos e, claro, ela descobriu e me dispensou, mas eu levei uma rosa para ela e ela aceitou meu pedido de desculpas”, relembra. No retorno, Vicente passou a trabalhar servindo o café da manhã e, por isso, John o presenteou com um despertador. “Eu não conseguia acordar cedo, me atrasava e fui dispensado novamente, mas logo ele me aceitou de volta. O problema foi quando, por curiosidade, desmontei uma torradeira e não soube montá-la mais”, conta sorrindo. Durante quase um ano Vicente trabalhou em outras atividades até ser convidado novamente a retornar ao Solar da Ponte, onde, desta vez, permaneceu ininterruptamente por uma década.

Aos 26 anos, Vicente deixou o hotel e seguiu em busca do sonho de ter seu próprio estabelecimento. “Inicialmente meu interesse era ter um hotel e um restaurante, mas com o tempo decidi dedicar-me apenas à culinária”, recorda. A dedicação deu certo e, cinco anos depois, em 1991, ele ganhou pela primeira vez uma estrela no renomado Guia Quatro Rodas. Porém, em 1994, após certo período mais distante do dia a dia da cozinha, ele perdeu a estrela. “Neste momento decidi que era o momento de retomar ativamente minhas atividades e inovar”, afirma.

Vicente criou então cinco novos pratos, passou a fazer seu próprio bacon defumado e permaneceu assiduamente na cozinha, entre outras iniciativas. A persistência no trabalho, somada ao talento, possibilitaram nova recompensa e, em 2001 ele recuperou a estrela do Guia Quatro Rodas que o reposicionava como um dos melhores restaurantes do Brasil. Desde então assim permanece.

Além dessa, ao longo das décadas Vicente teve muitas outras conquistas, resultado de sua dedicação e paixão pelo que faz. Em 2008 foi convidado a preparar sua receita de abóbora real feita com carne seca e arroz com taioba durante as comemorações de 200 anos da chegada da família real portuguesa ao Brasil.

Agora, aos 53 anos, Vicente prepara a sucessão das panelas. Seu filho mais velho, Elias David, também é um apaixonado pela culinária e já demonstrou suas habilidades. “Elias estudou no Senac e, entre os anos de 2011 e 2012, participou da Olimpíada do Conhecimento, onde conquistou o primeiro lugar nas etapas regional e nacional, mais a terceira posição entre os competidores das Américas no World Skills”, conta orgulhoso do trabalho promissor do filho. Hoje, o sucesso e sua realização extrapola o que um dia sonhou. “Vejo que quando se coloca o amor na frente, tudo sai melhor”, conclui.

©2023 por DaTerra. Orgulhosamente criado por ASSET