O sonho do próprio negócio e o legado da cidade dos couros

Conheça a história que deu origem a loja Casa de Couro Patusca

O cheiro forte e agradável do couro ao entrar na loja já indicam que os produtos são de boa qualidade. Bolsas, cintos, calçados, chapéus, todos feitos a partir de couro legítimo são os primeiros atrativos ao adentrar na Casa de Couro Patusca, localizada na Rua dos Inconfidentes, número 218.

O estabelecimento é do jovem empreendedor Giuliano Daniel Arruda da Silva, de 33 anos. Há 6 é dono da Casa de Couro e de lá para cá conseguiu se estabelecer e firmar no mercado turístico de Tiradentes. Giuliano, vence a timidez contando um pouco da sua história até abrir seu próprio negócio nas famosas ruas tiradentinas. Natural da Dores de Campos, conhecia Tiradentes através dos diversos passeios que fazia com a família e também, por conta da antiga loja que o pai tinha no município. As ruas de pedra da cidade histórica já eram sua velha conhecida, mas a possibilidade de se mudar ainda não havia chegado. 

Aos 27 anos decide largar seu emprego em escritório e montar seu próprio negócio. Devido a sua cidade natal ser conhecida como a “capital mineira do couro”, nada mais justo do que trazer esse material para dentro de sua rotina. “Eu comecei no final de 2013. Queria montar uma loja em Tiradentes com os produtos da minha cidade, com o couro de montaria, mas acabou que esses artigos não deram muito certo”, explica Giuliano. Os turistas de Tiradentes, no entanto, buscavam outros tipos de materiais com o couro, e assim, o jovem empresário precisou se adaptar para continuar com seu negócio. “O couro de montaria da minha cidade foi minha inspiração, mas tive que mudar. Agora trabalho com artigos mais femininos como bolsas, acessórios, calçados, chapéus… Assim consegui manter a loja”, comenta. 

Giuliano explica que as dificuldades em firmar o estabelecimento em Tiradentes foi, em primeiro lugar, entender como funcionava o turismo da cidade e buscar formas de adequação à este mercado. “Nos últimos anos passamos pela crise aqui na loja, mas tive que procurar novas estratégias para continuar. Agora temos vendas online, através do Mercado Livre, e outras formas de divulgação”. Hoje em dia, a loja conta com uma funcionária fixa que auxilia Giuliano nas vendas e na administração do estabelecimento. Mas, nem sempre foi assim. O começo difícil ficava por conta do próprio empresário. “No início era só eu. Muitas vezes eu dormia na loja, foram quase 5 anos assim. Comecei tudo em condicional, tendo ajuda de algumas pessoas. Agora me sinto satisfeito em ver como a loja está”, comenta aliviado o proprietário. 

O nome Patusca vêm tanto de família quanto da própria cidade natal de Giuliano. Dores de Campos, até quase a metade do século XX, era conhecida como Arraial Patusca. Em 1938, quando se tornou efetivamente município, o lugar mudou de nome. Em  homenagem ao avô, que tinha um sítio intitulado Patusca, referência ao antigo Arraial, Giuliano nomeia seu empreendimento da mesma forma e, assim nasce a Casa de Couro Patusca. 

Hoje em dia, Giuliano se sente muito mais do que satisfeito. Atualmente, mora em Tiradentes e, apesar de não ter grandes projetos para a loja, não quer se acomodar. Pretende melhorar na divulgação e criar outras estratégias de revenda. “Estou muito feliz  com o jeito que estruturei a loja, mas a gente tem que estar sempre disposto a melhorar, senão a tendência é só cair. Sempre estou buscando melhorias”, afirma o empresário. 

Conheça a Casa de Couro Patusca através do facebook, acessando o link abaixo https://m.facebook.com/Casa-de-Couro-Patusca ou visite a loja na Rua dos Inconfidentes, número 218

©2023 por DaTerra. Orgulhosamente criado por ASSET