No recanto da natureza se encontra a Arte de Bem Viver

A Estrada da Caixa D’água, no caminho da Maria Fumaça, apresenta uma Tiradentes diferente dos casarios históricos. A rua de pedra, envolta por muita natureza, transporta quem caminha por ali para outro ambiente: um mundo cheio de novas sensações. O portal para essas novas experiências está na Pousada A Arte de Bem Viver. Como uma arte feita pela natureza, a pousada parece estar no coração da mata atlântica. O som dos pássaros que pousam de vez em quando ali, as sombras frescas das árvores altas, os bambus formando um lindo jardim, tudo está intrinsecamente conectado. A primeira experiência que o lugar oferece é a sensação de paz e tranquilidade que aquece o coração.

Porém, para chegar até ali, Idalmo Duarte e Marisol Jotta, proprietários da pousada, percorreram um longo caminho.
O casal originário de Belo Horizonte, saíram da capital mineira buscando melhorar sua qualidade de vida. Nos anos 2000, marcaram um raio de 200 km de distância e saíram procurando a melhor cidade do interior para se viver. Assim que chegaram em Tiradentes foi amor à primeira vista. Para Idalmo, a primeira coisa que o encantou na cidade foi a Serra de São José: “Eu vi a Serra abraçando a cidade, e fiquei extremamente encantado”. Apenas um final de semana conhecendo Tiradentes foi o suficiente para o casal decidir que era aqui que eles formariam a suas vidas. Mas, nem tudo foram só flores: “A ideia inicial era continuar trabalhando com nossas profissões. Eu sou massagista e acupunturista e a Marisol é psicóloga. Queríamos fazer um centro terapêutico, mas viver disso numa cidade que na época tinha 6500 habitantes, não estava dando muito certo”, explica Idalmo.

Nessa época, Marisol e Idalmo se revezavam trabalhando em Belo Horizonte e morando em Tiradentes. Porém, perdiam aquilo que eles mais prezavam: a qualidade de vida. “A gente entrou numa crise muito grande achando que não ia dar pra ficar em Tiradentes, chegamos a colocar nossa casa a venda, e um amigo nosso falou pra gente alugar nossa casa por temporada. E a gente viu, que por mais que existissem 300 pousadas em Tiradentes, tinha um público que estava interessado no tipo de experiência que a gente tinha para compartilhar”, comenta Idalmo.

Em 2011, começaram a montar as primeiras unidades de quartos, mas foi no réveillon de 2013 que a meta de 12 quartos foi concluída. De lá pra cá, a pousada vive em constantes aperfeiçoamentos. A ideia do casal era poder transportar o turista para um lugar em que a maior arte seria o bem viver, o bem-estar.  Lugar onde o ambiente e a culinária apresentassem o melhor do interior de Minas Gerais e assim ser o gatilho de memórias e sensações em cada hóspede. No entanto, o maior desafio para o casal foi o processo de auto descobrimento para fazer um negócio que andasse junto com seus ideais. Para Idalmo, a dificuldade estava em reunir e apresentar para o mundo, aquilo que mais os encantou em Tiradentes, no estado de Minas Gerais e aquilo que viram durante toda a sua trajetória de vida. “O desafio foi descobrir, sintonizar, cultivar e ser o mais claro possível para o mundo do que seria a arte de bem viver para nós”, explica.

É o bem viver que acompanha toda filosofia de vida do casal até hoje. O bem viver típico do interior mineiro, com comida caseira - diretamente da receita de vó; conectado com a natureza e sintonizado com a tranquilidade. Vinicius de Morais dizia que a vida é a arte do encontro, e Idalmo tenta transmitir isso com sua pousada: “Eu fico muito feliz que a pousada seja uma maneira de expressar a beleza do encontro. E desse ir e vir já nasceram muitas amizades com hóspedes e funcionários”, comenta com um sorriso no rosto.

Para o casal, o maior aprendizado que a pousada deixou ao longo desses anos foi o respeito ao tempo.  “Cada coisa tem um tempo certo para acontecer, principalmente aqui que é tudo artesanal. A natureza não dá saltos, e a pousada aconteceu e acontece dessa forma. É um crescimento muito orgânico”, reflete Idalmo.

O tempo como fio condutor de tudo transformou 19 anos da história de Idalmo e Marisol em um lugar que reflete muito da essência deles. Tiradentes se tornou o palco das realizações artísticas e de um autodescobrimento do casal, já a Pousada A Arte de Bem Viver foi a consequência desse grande espetáculo que é a vida no interior. “A pousada pra mim não é apenas um negócio, ela é uma realização artística. É uma consequência de quem eu sou, do que eu chamo de beleza e de valor. Uma consequência daquilo que eu quero cultivar e preservar, daquilo que eu quero que tenha mais nesse mundo”, explica Idalmo.  

Hoje a Pousada conta com 8 funcionários e está localizada na Estrada da Caixa D’água, número 757, a 400 metros da Estação da Maria Fumaça. Uma pousada no coração da natureza, expressando como é essa a arte do bem viver.

Por Beatriz Estima

©2023 por DaTerra. Orgulhosamente criado por ASSET