Direto das prateleiras: a história do Mercado Tunico
Há dois anos o Mercado Tunico traz à Tiradentes  praticidade e dedicação

Toda cidade já teve ou tem aquelas vendinhas de esquina onde se encontra de tudo: de um pão de queijo recheado a um pinico antigo, de um vinho gelado a guarda chuvas. No Centro Histórico de Tiradentes, essa vendinha se chama Mercado Tunico e há dois anos traz à turistas e moradores tudo o que precisam na hora certa.

O Mercado Tunico é do casal mineiro Antônio Carlos de Lima  (Tunico) e Joana Ribeiro Valadares. Há 20 anos frequentando Tiradentes, o casal começou trabalhando na loja Ave Maria e foi a partir de lá  que conseguiram se firmar na cidade e ficar conhecidos pelos moradores e lojistas. Coincidentemente, foi através da loja que tiveram a ideia de começar o Mercado Tunico.

“O Mercado foi uma surpresa, nasceu no susto” comenta Antônio. O susto foi, porque ao contrário do que normalmente se faz - têm-se a ideia e depois procura-se um lugar para pôr em prática - com Antônio e Joana foi diferente: o lugar veio primeiro, a ideia depois. “A gente saiu da Ave Maria e  decidimos que não íamos voltar para Belo Horizonte. Até procurei outro negócio, que não fosse muito para o turista e mais para o morador, mas não consegui ponto para montar esse negócio. Mas aí, apareceu esse ponto, que eu achei interessantíssimo. Peguei sem saber o que eu ia montar”, explica Antônio.

Foi na ânsia de montar um negócio próprio, com o ímpeto de juntar tudo aquilo da qual eles sentiam falta em Tiradentes que o Mercado surgiu na mente do casal. “Nessa época que a gente trabalhava na Ave Maria, a gente sentia falta de um mercado. Às vezes já era tarde e a gente queria comer alguma coisa, beber alguma coisa, levar pra casa esse tipo de coisa e já estava tudo fechado”, continua o comerciante.

A inauguração foi no carnaval de 2017 e em dois anos o Mercado Tunico cresceu e ficou conhecido em toda a cidade. O lugar aconchegante tem mesmo a cara de uma vendinha antiga, porém com toques da modernidade que não podia faltar. As mesinhas do lado de fora, te convidam a tomar um café tranquilo, enquanto se avista o movimento da cidade. Já do lado de dentro, as prateleiras cheias de produtos trazem a sensação de que no Mercado Tunico se vende de tudo. E não é que vende, mesmo?!

Para Antônio a melhor parte de trabalhar no Mercado é a interação com pessoas diferentes a todo instante e a troca de ideias com os clientes. “O contato com o cliente é muito mais pessoal, muito mais informal e gostoso de lidar. Tem seus problemas, claro. Às vezes encontramos pessoas um pouco mal educadas, ignorantes. Mas compensa quando o cliente elogia o Mercado e fica satisfeito com o formato daqui”

O garimpo dos produtos

 

É quase o trabalho de garimpeiro  levar ao Mercado produtos dos mais variados tipos com preço justo ao morador e turista. E tudo isso, Antônio faz sozinho durante suas viagens para outras cidades e estados, atrás de distribuidoras, importadoras etc, enquanto Joana cuida do Mercado em Tiradentes junto com mais duas funcionárias e duas aprendizes. “Eu garimpo muito, corro muito pra lá e pra cá. Vou à Belo Horizonte, vou a São Paulo, vou a vários lugares para achar os melhores produtos”, conta Antônio.

Apesar de trabalhar com comércio há quase trinta anos, Antônio ainda presencia as dificuldades de ser novo na área alimentícia e conta que o maior obstáculo é ter tempo para  procurar pelos produtos e entender como esse tipo de mercado funciona. “Quando você abre um negócio diferente do ramo que você está ( eu, por exemplo, saí de roupa para um ramo de comida, bebida) é muito difícil. Ainda tenho muito para aprender como funciona esse jeito  de garimpar e achar os produtos. No início, principalmente, foi uma penúria, mas aos poucos você vai entendendo. Anos e anos de comércio também te ensina”, explica.

E a correria não para, nem o sorriso no rosto de Antônio e Joana ao cumprimentar as pessoas que entram no Mercado, ou que passam ali para dar um ‘oi’. Com um cafezinho na mão e um cigarro na boca, Antônio volta à rotina pensando nos planos futuros para o Mercado. “A ideia é expandir aqui dentro primeiro, aumentar a quantidade e a variedade dos produtos. Talvez ampliar para os fundos e quem sabe futuramente ter mais outros Mercado Tunico por aí…” comenta Antônio. Assim, o mercado com cara de vendinha vai crescendo, ocupando os espaços e ganhando os corações das pessoas que o frequentam.

Atualmente o Mercado Tunico está localizado na Rua Henrique Diniz, 155, centro de Tiradentes. Funciona das 9 às 22 horas de domingo a quinta e das 9 à 00 horas sexta e sábado.

Por Beatriz Estima

©2023 por DaTerra. Orgulhosamente criado por ASSET