A arte do design de móveis em Tiradentes

Quem visita a loja Divinas Gerais, em Tiradentes, logo se encanta com a criatividade e habilidade em fazer móveis de qualidade da família formada pelo casal Tereza Lúcia Portugal de Carvalho e Marco Antônio Ajeje de Carvalho, e os filhos Leandro e Thales Portugal. Juntos há 37 anos, o casal se conheceu em Guaxupé, cidade natal de Tereza, no Sul de Minas. Certo tempo depois mudaram-se para o Mato Grosso do Sul onde, até então, Marco atuava no ramo bancário. Foi lá que aprendeu o ofício de fazer móveis com Sr. Montiel, proprietário de uma marcenaria que, em 1982, passou a ser da família Portugal de Carvalho. “Foi nessa época que descobri minha aptidão para o design de móveis”, lembra Marco.

Quem visita a loja Divinas Gerais, em Tiradentes, logo se encanta com a criatividade e habilidade em fazer móveis de qualidade da família formada pelo casal Tereza Lúcia Portugal de Carvalho e Marco Antônio Ajeje de Carvalho, e os filhos Leandro e Thales Portugal. Juntos há 37 anos, o casal se conheceu em Guaxupé, cidade natal de Tereza, no Sul de Minas. Certo tempo depois mudaram-se para o Mato Grosso do Sul onde, até então, Marco atuava no ramo bancário. Foi lá que aprendeu o ofício de fazer móveis com Sr. Montiel, proprietário de uma marcenaria que, em 1982, passou a ser da família Portugal de Carvalho. “Foi nessa época que descobri minha aptidão para o design de móveis”, lembra Marco.

Cinco anos depois a venderam e foram morar em Campinas, no estado de São Paulo. “Durante mais de uma década vivemos lá, Marco trabalhava restaurando objetos de arte sacra”, conta Tereza. Foi por essa razão que, em 1998, mudaram-se novamente e foram viver na cidade mineira de Passos. “Eu passei do restauro de objetos para o restauro de igrejas e nada melhor do que estar em Minas Gerais para desempenhar essa função”, diz Marco.

Cinco anos depois a venderam e foram morar em Campinas, no estado de São Paulo. “Durante mais de uma década vivemos lá, Marco trabalhava restaurando objetos de arte sacra”, conta Tereza. Foi por essa razão que, em 1998, mudaram-se novamente e foram viver na cidade mineira de Passos. “Eu passei do restauro de objetos para o restauro de igrejas e nada melhor do que estar em Minas Gerais para desempenhar essa função”, diz Marco.

No entanto, o ofício era limitador à criatividade do artista plástico que, em 2008, fez novamente as malas e mudou-se para Tiradentes com a família. “Viemos para ficar de vez, sem saber no que poderia resultar”, conta Tereza. O objetivo da família era produzir móveis aparentemente rústicos, mas com apelo moderno. Partes de engenhos de açúcar, cochos, pilões antigos e até uma canoa já serviram de base para belas peças do mobiliário. “Esses objetos já trabalharam bastante, por isso agora é a vez deles descansarem na sala de estar”, brinca Marco.

 

O que era sonho tornou-se real e, atualmente, a família tem colhido os frutos dessa dedicação de tantos anos.

“Começamos com uma oficina bem pequena que hoje é quase dez vezes maior se somarmos as duas lojas e temos dez funcionários, por essa e outras razões considero nossa história grandiosa”, comenta Marco. 

Cinco anos depois a venderam e foram morar em Campinas, no estado de São Paulo. “Durante mais de uma década vivemos lá, Marco trabalhava restaurando objetos de arte sacra”, conta Tereza. Foi por essa razão que, em 1998, mudaram-se novamente e foram viver na cidade mineira de Passos. “Eu passei do restauro de objetos para o restauro de igrejas e nada melhor do que estar em Minas Gerais para desempenhar essa função”, diz Marco.

E Tereza completa: “Apesar dos obstáculos e dificuldades enfrentadas, hoje temos um balanço muito positivo e um ótimo momento de nossa família”, conta relembrando da trajetória e do filho Lucas, falecido há alguns anos.

Curiosidade

O primeiro encontro com essa arte aconteceu muito tempo antes, quando Marco ainda era criança. Ele conta que estudou em uma escola onde um dos cursos profissionalizantes era de marcenaria. “O Sr. Natal fazia peões e eu ficava encantado admirando seu trabalho, isso ficou na minha memória”, recorda o artista que atualmente se inspira nessa e em outras memórias da infância para criar suas peças, em parceria com o filho Thales.

©2023 por DaTerra. Orgulhosamente criado por ASSET